domingo, 21 de fevereiro de 2010

Cuidado vó...

Minha saudosa vó... Helga Hutt, 80 anos, uma guerreira. Chegou na terceira idade e ainda levanta cedo pra tirar leite das vacas, dar ração aos porcos, tratar as galinhas e os cachorros. Quanta luta pra manter o pedaço de terra e sustentar os filhos. Quando seguro em suas mãos sinto os calos provocados pelo cabo da foice, usada pra cortar o pasto pro gado. Minha querida vó... tome cuidado quando os cachorros latirem de madrugada. Além do gado, que pode ter escapado, alguém pode ter entrado em sua propriedade e decide tomar seu pequeno pedaço de terra. Eles não gostam que eu fale disso, me xingam, mas eu não me importo. Sabe vó, o mundo tá mudado... é uma bandidagem só...

6 comentários:

Almir Escatambulo disse...

Caro Diogo!

Confesso a você que eu não sabia que o MST tinha toda essa força e estrutura, ou seja, um movimento organizado da sociedade civil, legitimo, lutando pelo direito de ter um pedaço de terra, espaço de geração de renda, alimentação e qualidade de vida.
Puxa vida. Capacidade de mobilização de seus militantes em três horas para fechar fronteiras de um estado? Nossa estou impactado por saber que este movimento tem toda essa organização. E mais interessante ainda, mil e oitocentas escolas ministrando curso na área de Agricologia supervisionado e certificado por universidades federais de todo Brasil, com professores, doutores e pos doutores em Agronomia! Através de seu blog fiquei totalmente informado sobre a estrutura invejável que tem o MST – Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, demonstrando claramente que este é um movimento legitimo.
Meus parabéns pelo comentário, você é brilhante. Depois de sua belíssima fala estou entrando para este movimento, pois sei que ele é muito mais legitimo que o congresso nacional.
O que seria de Londrina sem os seus comentários e informações. Tomara que todos que leia esta postagem pensem como eu, e reconheça o MST como um movimento do povo brasileiro (reconhecido internacionalmente), que somente reivindicam um pedaço de terra para produzir alimentos saudáveis e sem agrotóxicos, que chegam as nossas mesas com preços acessíveis e com qualidade, tais como o leite Terra Viva que é um produto de excelente qualidade. Resultado da reforma agrária. Produtos tão bons quanto os do sitio da sua Avó, pessoa lutadora, comprometida com a área rural.
O que seria de nós se não existissem pessoas como a sua avó e outras que moram na zona Rural e produzem alimentos de fato e não deixam terras ociosas e sem plantio e que trabalham para que o alimento chegue até nós aqui da cidade. Sem elas, nós estaríamos perdidos e morreríamos de fome, inclusive eu é você, enfim todos. Sugiro que você entre em contato com alguma liderança do MST e faça uma entrevista ao vivo para que possamos saber mais a respeito do movimento. Haja vista a grande audiência e abrangência de seu programa e da TV Taroba, só não consigo entender porque você não fez isso, eis ai a dica, espero que aproveite, tenho certeza, que todos telespectadores e internautas vão ficar satisfeitíssimos com você.


Abraços

Diogo Hutt disse...

e as laranjas?????

Diogo Hutt disse...

Vamos ler minha gente.... algumas sugestões...

MST, crime e conivência

Carlos Alberto Di Franco

As invasões de fazendas em São Paulo, coordenadas por José Rainha, e as ações do Movimento do Sem Terra (MST) em Pernambuco –onde líderes do movimento assassinaram quatro seguranças de fazendas- causaram indignação no presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes.

Diogo Hutt disse...

Notícia da Folha de 18/10/2007:

Integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) interditaram ontem a Estrada de Ferro Carajás, da Companhia Vale do Rio Doce, no interior do Pará. Um trem da companhia foi apedrejado por manifestantes, segundo a mineradora. A invasão à ferrovia ocorreu em Parauapebas (836 km de Belém), no sudeste do Estado. Segundo a Polícia Militar, 200 manifestantes estavam no local. Para o MST, eram 4.000

Alisson disse...

Diogo você ainda está com este papo de laranjas? A própria cutrale que você tanto admira admitiu que estava instalada em terras da união, ou seja, a cutrale é uma grileira de terras. Se você ficasse sabendo que uma empresa perto da sua casa invadiu uma praça e nenhum juiz faz nada oque vc faria? Com certeza pelo menos sentiria vontade de arrancá-los de lá a todo custo. È isso que o MST faz. Como todos nós sabemos a injustiça impera no Brasil e se nós não nos mobilizarmos e tomarmos muitas vezes atitudes "radicais" nunca seremos ouvidos. Somente a luta muda a realidade concreta. Juizes, promotores, polícia só fica ao lado de quem tem poder, e como o pobre que não tem o dinheiro precisa mostrar o seu poder? Infelizmente apenas através da sua força, por sermos, aí também me incluo maioria da sociedade.

Anônimo disse...

No mínimo iria em busca dos direitos através da lei e mídia... não faria justiça pelas próprias mãos, pq caso isso vire moda, será o caos!!!